Os trabalhos da autora de filosofia política Hannah Arendt (1906-1975) são uma das principais fontes para a reflexão da crise política e ética que paira sobre a modernidade e contemporaneidade, fundamentalmente para pensarmos o que a autora denomina de “tempos sombrios”. Localizados originalmente na Divisão de Manuscritos da Biblioteca do Congresso, “Arquivo Hannah Arendt” constitui uma coleção grande e diversificada, refletindo uma trajetória intelectual complexa. Com mais de 25.000 itens (cerca de 75.000 imagens digitais), os documentos contêm correspondência, artigos, palestras, discursos, manuscritos de livros, transcrições dos procedimentos de julgamento de Adolf Eichmann, notas e material impresso pertencentes aos escritos de Arendt e carreira acadêmica. Toda a coleção foi digitalizada e está disponível para pesquisadores em salas de leitura na Biblioteca do Congresso, na New School University em Nova York, no Hannah Arendt Center da Universidade de Oldenburg, na Alemanha e, no Brasil, no Núcleo de Pesquisa Hannah Arendt (NUPHA). Partes da coleção estão disponíveis para acesso público na Internet.