Núcleo de Pesquisa Hannah Arendt

 
     
 

O Núcleo de Pesquisa Hannah Arendt, o qual é vinculado à Universidade Federal do Piauí, se caracteriza por congregar professores e alunos para desenvolver estudos e pesquisas voltadas para a reflexão crítica acerca das estruturas fundantes de nossas vivências políticas, procurando relacionar os fenômenos concretos de fundação, manutenção e perecimento de corpos políticos com os apontamentos de teóricos que procuraram lançar luz sobre essa temática, a exemplo de Hannah Arendt, e de autores que esta autora dialoga, tais como Aristóteles, Cícero, Maquiavel, Jaspers, Husserl e Heidegger, bem como autores que, de maneira velada ou explícita, se aproximam das temáticas abordadas por Arendt, como Michel Foucault e Giorgio Agamben.

programação

XI Encontro Hannah Arendt: “60 anos de A condição humana

Universidade Federal do Piauí

Departamento de Filosofia

Programa de Pós-graduação em Filosofia

Núcleo de Estudos Hannah Arendt

Piauí –Brasil

23-25 de maio de 2018

 

 

 

Programação:

O evento consistirá num ciclo de Conferências com apresentação de trabalhos de pesquisa. A programação será distribuída em três dias, em horários definidos da seguinte maneira:

 

Dia 23/05/2018 – Quarta-Feira

 

 

Auditório 340B

 

Mesa I

8:20 às 8:40: A Vitória do Animal Laborans: Intimidade Versus Publicidade, Sobre a necessidade do resgate das potencialidades do político (Francisco Jameli Oliveira Reinaldo – UECE)

8:40 às 9h: Dilemas da centralidade do trabalho na sociedade salarial: A condição de animal laborans e o esgarçamento da política no mundo moderno (Léia Lima Soares – UFPI)

9h às 9:30: Debate

 

Mesa II

9:30 às 9:50: A modernidade e o lugar da natureza nos negócios humanos: uma leitura arendtiana (João Batista Farias Junior - Professor do IFPI/UFG)

9:50h às 10:10: A tensão entre as fragilidades da ação e a necessidade de estabilidade do corpo político em Hannah Arendt (Rayane Batista de Araújo - UFRJ)

10:10 às 10:30 Uma análise histórica sobre o trabalho nas décadas de 1950 e 1960 através da obra “A Condição Humana de Hannah Arendt” (Marylu Alves de Oliveira - UFPI)

10:30 às 11h: Debate

 

 

Auditório Noé Mendes – CCHL/UFPI

 

Mesa I

8:20 às 8:40: a importância do mundo comum e da pluralidade para o julgar em Arendt (Ana Carolina Turquino Turatto - UEL/UNIVALE)

8:40 às 9h: A condição humana como arqueogenealogia da decadência do político (Lucas Barreto Dias – IFCE/UFMG)

9h às 9:30: Debate

Mesa II

9:30 às 9:50: Humanidade: outra condição humana da Vita Activaem Hannah Arendt (Ms. Igor Vinícius Basílio Nunes - Unicamp/IFG)

9:50: 10:10: Desejo, práxis e política como inter esse em Hannah Arendt (Ms. Lucas Rocha Faustino - UESPI)

10:10 às 10:30: 8h às 8:20: A condição humana do enfermeiro docente: uma perspectiva arendtiana (Caroline Lemos Martins – UFPel)

10:30 às 11h: Debate

 

Sala de Vídeo I

 

Mesa I

8h às 8:20min: Homo faber como zelador do mundo humano: leituras (Rodrigo Fampa Negreiros Lima. PUC-RIO)

8:20 às 8:40min: Hannah Arendt: a natalidade é conceito ou condição humana? (Daniela Grillo de Azevedo. UFPel)

8: 40 às 9h: Hannah Arendt: o público em oposição ao social (Juliana Scherdien Amaral. Universidade Federal de Pelotas – UFPel)

9h às 9:30: Debate

 

Mesa II

9:30 às 9:50: A importância do espaço público na perspectiva de Hannah Arendt (Suzana Oliveira de Almeida - UFPI)

9:50 às 10:10: A vida na Terra como condição humana (Anelise Gonçalves Lauz-UFPEL)

10:10 às 10:30: Os limites e as possibilidades da ação na sociedade de massas (Nathalia Rodrigues da Costa – Unicamp)

10:30 às 11h Debate

 

Sala de Vídeo II

 

Mesa I

8h às 8:20min: Sobre o tempo em A condição humana (Ms. Thiago Dias da Silva - USP)

8:20 às 8:40min: Condição de elegibilidade: potencialidade para substituição da ação pela fabricação (Gabriel Bezerra da Silva-UFPel)

8: 40 às 9h: Meu oportuno herói: mortalidade, memória e narrativa na ação política (Juliana de Barros Ferreira - UPE)

9h às 9:30: Debate

 

Mesa II

9:30 às 9:50: O Conceito de Pluralidade na Concepção Arendtiana de Direitos Humanos. (Alexandrina Paiva da Rocha – USP)

9:50 às 10:10: Arendt e as anotações sobre os princípios gerais da ação política (Halanne Fontenele Barros - Instituto Federal do Piauí-IFPI)

10:10 às 10:30: A relação entre a natureza humana e a condição humana no pensamento de Hannah Arendt: homens como seres condicionados (Débora Maria Santiago Cavalcante - Universidade Estadual do Ceará – UECE)

10:30 às 11h Debate

 

Sala do PPGFIL (314)

 

8:20 às 8:40min: A fusão entre os domínios público e privado e seus desdobramentos (Nei Jairo Fonseca dos Santos Junior - IFSul)

8: 40 às 9h: A distinção entre o social e o político: uma leitura a partir de A Condição Humana e Escritos Judaicos (Ms. Nádia Junqueira Ribeiro - Unicamp)

9h às 9:30: Debate

 

Mesa II

9:30 às 9:50: o perdão e a promessa como modos de superação da contigencialidade da ação: a irreversibilidade e imprevisibilidade da ação segundo Hannah Arendt (Carlos Fernando Silva Brito - UFPI)

9:50 às 10:10: A condição Humana e a inquietante indagação do quem somos na paradoxal pluralidade do espaço público (Evandro da Fonseca Costa – UFPE)

10:10 às 10:30: Hannah Arendt e a modernidade: ou da biopolítica como diagnóstico tácito (Laio Sampaio Bispo - UFBA)

10:30 às 11h: Debate

 

Auditório Noé Mendes – CCHL/UFPI

 

14 às 16h

Mesa I

 

  • 14 às 14:30: A condição Humana: 60 anos depois (Dra. Sônia Maria Schio – UFPel)
  • 14:30 às 15h: A atualidade de A condição humana de Hannah Arendt: “O que estamos fazendo” (Dr. Fernando Nascimento – UFPE)
  • 15h às 15:30: Hannah Arendt: o “quem”, uma antropología para a filosofía política (Beatriz Porcel – Univ. Nacional de Rosário – ARG)
  • 15:30 às 16h: Debate

 

Intervalo: 16 às 16:30 min – “Merenda”

 

 

16:30 min as 18:30

Mesa II

 

  • 16:30 às 17h: O declínio do domínio público e o encantamento com o privado (Dra. Maria Cristina Müller - UEL)
  • 17h às 17:30: Stefan Zweig e a apolitia no mundo moderno: intercursos autobiográficos e ficcionais (Ms. Cláudia Carneiro Peixoto)
  • 17:30 às 18h: Ação e Contingência em Hannah Arendt (Dr. Helton Adverse – UFMG)
  • 18h às 18:30: Debate

 

19h Cerimônia de Abertura

 

  • Hannah Arendt’s political normativity (Prof. Dr. Christian Volk – Univ. Berlin - Alemanha)

 

 

24/05/2018: Quinta-Feira

 

Auditório Noé Mendes – CCHL/UFPI

 

8:30 às 11:30

Mesa I

 

  • 8:30 às 9h: Breve genealogia conceitual de A Condição Humana no escrito A Promessa da Política (Cristiane Maria Marinho (UECE/UFG)
  • 9 às 9:30: As “condições” da verdade dos fatos na política (Dr. Geraldo Adriano Emery Pereira – UFV)
  • 9:30 às 10h: Introspecção em Hannah Arendt: Rahel Varnhagen uma pária em busca do mundo (Ms. Ricardo George de Araújo Silva  – UVA)
  • 10 às 10:30: Lei e pluralidade em Hannah Arendt (Dr. Odilio Alves Aguiar - UFC)
  • 10:30 às 11:30: Debate

 

14 às 16h

Mesa II

 

  • 14 às 14:30: Entre os Diários Filosóficos e A Condição Humana: o problema da Imortalidade e da História (Dr. Newton Bignotto – UFMG)
  • 14: 30 às 15h: A Mortalidade da Condição Humana e a Imortalidade do Mundo (Dr. Celso Vaz – UFPA)
  • 15 às 15: 30 Governo, ação, fabricação e administração no pensamento de Hannah Arendt (Dra. Mariana de Mattos Rubiano – USP)
  • 15:30 às 16h: Debate

 

Intervalo: 16 às 16:30 min – “Merenda”

 

16:30 as 18: 30

Mesa III

 

  • 16:30 às 17h: Bondade, compaixão, piedade: os descaminhos da ‘política do coração’ em Arendt (Dra. Rosângela Almeida Chaves - UFG)
  • 17 às 17:30: O sentido político do perdão na perspectiva arendtiana (Dr. José Luiz de Oliveira – UFSJ)
  • 17:30 às 18h: A compreensão do perdão em Arendt: de As origens do totalitarismo e A condição humana (Dr. Adriano Correia – UFG)
  • 18 às 18:30: Debate

 

 

25/05/2018: Sexta-Feira

 

Sala de Eventos do Palácio do Rio Hotel

10h: Reunião do Grupo Arendt

 

 

Auditório Noé Mendes – CCHL/UFPI

 

14 às 16h

Mesa I

 

  • 14 às 14:30: O problema das tensões no conceito de ação em Hannah Arendt: notas sobre A condição humana e Sobre a Revolução (Ms. Antônio Batista Fernandes - UFC/Unicatólica de Quixadá)
  • 14:30 às 15h: A atualidade performativa da ação política em Hannah Arendt (Bethânia Assy – PUC-RIO)
  • 15 às 15:30: Mundo comum em Hannah Arendt: Reflexões acerca da crise da política no mundo moderno (Francisco Rafael Queiroz de Oliveira  - UECE/SEDUCCE)
  • 15:30 às 16h: Debate

 

Intervalo: 16 às 16:30 min – “Merenda”

 

16:30 às 18:30

Mesa II

 

  • 16:30 às 17h: O que estamos fazendo? Arendt e a crítica da desmundanização na democracia liberal (Dr. Rodrigo Ribeiro Alves Neto – UNIRIO)
  • 17 às 17:30: Ação e narrativa: reflexões a partir de Hannah Arendt e Isak Dinesen (Dra. Vanessa Sievers de Almeida - UFBA)
  • 17:30 às 18h: O equilíbrio entre o comum e o singular no pensamento de Hannah Arendt (Ms. Antonio Glauton Varela Rocha – UFC/UNICATÓLICA)
  • 18 às 18:30: Debate